Blog - Maria Cobogó
18144
page-template,page-template-blog-masonry,page-template-blog-masonry-php,page,page-id-18144,translatepress-pt_BR,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.5,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Claudine M. D. Duarte * | “Vieram ver o estranho fenômeno que havia infringido as leis da Eternidade, mas que não podia ser tocado...

Elza Zarur *| A cada crônica que escrevo sobre a minha Visconde do Rio Branco percebo que saí dela, faz muito tempo, mas que...

Maria Cobogó * | Seu relógio, por vezes, dispara em primaveras. Ou seriam verões? O Sol brilha constantemente sobre sua cabeça e, se há...

Maria Cobogó * | “Só posso dizer, em resposta ao que tão respeitosamente se me pede, que seu nome é Dulcinéia, sua pátria El...

Giullia Chaves * | Desde que nós, Marias Cobogós, nos unimos para criar o Coletivo, tivemos um único propósito: dar às mãos à todas...

Lucilia de Almeida Neves * | Sem destino segue esta carta É meu adeus sem certeza de chegada Cheira umidade Molhada por lágrimas do ontem e do...

Lucília Garcez * | Não nasci aqui, mas sou brasiliense. Ao acompanhar Brasília se constituir como cidade, fui me construindo como sou hoje. Normalmente, as...

Marília Panitz *| O prazer que há em viajar dentro do próprio quarto está a salvo do ciúme inquieto dos homens; ele tampouco está...

Por Nate DiMeo*| Samuel Finley Breese Morse passou os primeiros vinte e cinco anos da vida aprendendo a pintar. Em Andover. Em Yale. Em Londres,...

Por Margarida Patriota * | Mais do que a ler, as agruras de um ano pandêmico me levaram a reler. Era março de 2020, a...