MULHER - Maria Cobogó
18916
post-template-default,single,single-post,postid-18916,single-format-standard,translatepress-pt_BR,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.5,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

MULHER

por Fátima Pereira * |

 

Porque sou mulher                                              

Posso ser louca, insana, arredia

Minha alma, muitas almas

Sou a Sofia dos gregos

A Joana dos desesperados

 

A bruxa queimada em Salamanca

Beata na visão de Fátima

A filha do profeta à beira da fonte

Madre Teresa dos pobres

Uma Chica da Silva…

 

Porque sou mulher

Posso ser fada, gueixa, cigana

Ruína, construção, cataclisma

Maria Madalena

A Marilia de Dirceu

A ativista Flora Tristan

Olga lutando pela liberdade

Florbela morta de amor

Julieta tola e apaixonada

Chiquinha Gonzaga…

 

Porque sou mulher

Posso predizer o futuro

Quebrar as regras

Ter um lado secreto

Outro iluminado

Impenetrável aos olhos desatentos

Posso ser menina

Ingênua, tímida

Com a sabedoria

De uma anciã milenar…

 

Porque sou mulher

Posso ser todas as coisas

De rainha à plebeia

De Afrodite à sem-terra

Uma deusa, uma simples mortal!

 

***

 

*Fátima Pereira é poeta e professora da rede municipal de São Roque. Possui licenciatura em Letras pela USP, especialização em Gramática e Texto e cursa Literatura Infantil.

 

Imagem: aquarela de Mario Alba